Como a natureza testa os nossos limites

Sabe quando alguma coisa dá errado e você pensa que não pode ficar pior? Pois é, pode… e certamente é isso que vai acontecer.

Bom, minha segunda feira já começou com um pé atrás quando um pagamento que estava esperando receber não foi efetuado, daí peguei meu celular e fui ligar para o cidadão inadimplente, o que ocorre em seguida é você quem decide:

a) A pessoa atendeu, deu uma desculpa pelo atraso e prometeu depositar o dinheiro em breve.

b) O celular estava sem sinal.

OU

c) Meu celular travou na tela da chamada, retirei a bateria para reiniciá-lo e ele dormiu para nunca mais acordar.

É amigos, certas coisas só acontecem comigo mesmo…

Mas nada poderia estragar o meu dia, porque a noite iria assistir uma palestra na Universidade Federal de Sergipe com o professor Antony Petter Mueller, que é um economista internacionalmente renomado. 

Pra quem não sabe, sou aluno do 3º ano do Ensino Médio e como 99,98% dos que passaram por essa fase, ando muito indeciso sobre qual carreira seguir, então busco referências nas universidades, com alunos e professores, sobre os cursos e instituições que se encaixam no meu perfil.

Ao chegar na UFS, notei e adorei logo de cara a diversidade de pessoas que circulavam por ali, diferente de algumas universidades particulares que já fui, onde encontrei muita gente “nojentinha”, a Federal é bastante viva e você sente o choque de realidade na pele. É incrível! 

Passada a tensão na entrada do auditório, já que ouvi falar que a palestra seria destinada somente a alunos, me acomodei em um local confortável com meu amigo Carlisson e um colega dele, o Iago, que é uma pessoa muito agradável por sinal.

Imagem

Após passar meia hora (ou mais) esperando as maiores autoridades do departamento de economia se reunirem em assembleia para decidir se a imagem do data show que estava esverdeada era um problema no computador ou no cabo de vídeo, eles não chegaram a um consenso e iniciaram o evento com o negócio sem prestar mesmo.

A palestra foi excelente, o que deu pra compreender do portunhol do professor Antony me fez pensar bastante sobre os rumos que a economia mundial pode tomar nos próximos anos, especialmente a respeito da Europa, que enfrenta uma grave crise que certamente irá se estender por algumas décadas, tendo em vista o envelhecimento na população do continente e outros fatores que a maioria de vocês não tem interesse em saber.

A noite continuou interessante com os demais professores do departamento, que abordaram a conjuntura socioeconômica brasileira com a sensibilidade e clareza típicas dos excelentes economistas.

Apesar do meu fascínio pelas ciências econômicas ter aumentado absurdamente, não estou certo se esse é o curso que quero, ainda estou dividido entre Economia, Direito e Relações Internacionais.

É isso pessoal, por hoje é só. Ah, se tiver algo a comentar, por favor, não se acanhe (como diz meus conterrâneos).